visitas

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Folha de plástico


Folha de plástico
eu sou de carne
e a carne é importante
às criaturas vivas.

Se tu não sabes
não deves saber
folha de plástico
pois tu és artificial.

Então lhe digo
o que é ser
folha verde
da planta verde
ser natural.

Não é de carne
como animal
mas também respira
e bebe agua
e se alimenta
da terra e do sol.

Folha de plástico
suja de pó
eu tenho dó
de te ver assim.

Não é por ti
mas pelas fabricas
que te fabricam
imitando as folhas
do meu jardim.

Se as folhas envelhecem ?
Se elas caem ?
Se elas morrem ?
Claro que sim!

Mas nascem outras
muito mais verde
muito mais bela
que as que caíram.

Folha de plástico
não leve a mal
serás um dia
lixo reciclável!

PEDRO ARUVAI

7 comentários:

Jorge Manuel Brasil Mesquita disse...

Folha de plástico
neste lado de não ser estático
perante as dunas do medo,
buscando na flor do enredo
a natureza do fado
o samba do prado
onde todo o cavalo
é liberdade
e, eu, que não me calo
sou a verdade
que se cola à mentira
para virar a espira
que nos engrossa o dia
com noites de azia.
Jorge Manuel Brasil Mesquita
Lisboa, 06/08/2010
etpluribusepitaphius.blogspot.com

"Cantinho Poético" disse...

"A mais bela ponte construída no planeta é a distância entre um olhar e outro."

(Mario Prata)

Beijos na alma......M@ria

ANTOLOGIA POÉTICA disse...

"Há três tipos de pessoas na vida: as que querem, as que preservam e as que sabem amar de verdade."

(Autor Desconhecido)

Afagos no coração...Feliz semana!!

Pedro Aruvai disse...

obrigado, M@ria, e ao Jorge pelos comentários.

Crista disse...

A partir de hoje olharei para as folhas de plástico,coitadas,com outros olhos!!!!
Vou fazer um canteiro só delas...quando estiver pronto,fotografarei e mandarei para ti...
Tu és maravilhoso como poeta também!!!

Marly Bastos disse...

Preocupas com o ecológico...Seria muito bom que como a tua plantinha de plático, tudo que fosse desse material fosse também reciclado, todavia a realidade é bem outra, vão parar no fundo dos rios e mares, causando muitos males à natureza.

Pedro Aruvai disse...

Obrigado a todos pelos comentários...