visitas

sábado, 31 de julho de 2010

Sina




O pensamento que não se domina
O medo de quem raciocina
A estupidez parada na esquina
A lascividade cretina
A hipocrisia que desatina
O obsoletismo da língua latina
O olhar por trás das cortinas
A dor tão cruel e fina
A crueldade de quem assassina
A inutilidade das carabinas
O destroços das velhas minas
O velho ainda sovina
E tudo que se determina
Na crista do galo e nas crinas
Dos cavalos comendo nas campinas
Uma nova palavra me ensina
Para falar enquanto tudo termina

PEDRO ARUVAI

7 comentários:

Sylvia Rosa disse...

Amigo Pedro, que inspiração heim! Forte como a realidade que nos assola, , , sem mais comentarios.
Bjao e um otimo FDS

Assis Freitas disse...

sina que ensina,

abraço

Pedro Aruvai disse...

obrigado, Sylvia pelo comentario, elogios e visita. bjão pra vc tbem.

obrigado, amigo Assis, abrços

"Cantinho Poético" disse...

Há uma doce luz no silencio,e a dor é de origem divina.
Permita que eu volte o meu rosto para um céu maior que este mundo,
e aprenda a ser dócil no sonho como as estrelas no seu rumo.

Cecilia Meireles

Uma semana de paz e luz...Beijos na alma.....M@ria

Pedro Aruvai disse...

obrigado, M@ria, pela visita e o comentário.

bjão

PRECIOSA disse...

Bela inspiração! Passei para conhecer esse espaço de amor,
Fiquei apaixonada. Tens o dom da escrita...Parabéns. Sou sua mais recente seguidora. Estarei a acompanhar seus poemas....
Abraço carinhoso.

Preciosa Maria...
De-me a felcidade de conhecer meu blog.Simples mas escrito com carinho

Pedro Aruvai disse...

obrigado a todos pelos comentários.

bj]ao