visitas

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Perdoa-me Deus



Porque me perturba esse desejo

que me incita a esse vício,

e esse vício que me toma

me dominando o tempo todo.


Será que sou o que não quero

que nunca imaginei ser

o que não se deseja a ninguém

que seja mesmo sendo.


De alma limpa eu quero está

diante de toda justiça

olhando a verdade pura

despido desse meu velho corpo.


Perdoa-me Deus por minhas faltas

eu sou peralta sem destino

como quem vive predestinado

andando errado todos os dias.


Fecho os olhos para me ver

e tenho vergonha de ser o que sou

um ser sem controle ao vício

um viciado sem ter pudor.


Deixa minha vida livre de tudo isso

porque o corpo já está condenado

a morte é certa porque nasci

fruto do erro e do pecado.


PEDRO ARUVAI



2 comentários:

Fabi disse...

Olá Pedro, gosto das suas poesias, vamos encher esse mundo de coisas boas? beijos

Pedro Aruvai disse...

obrigado pela visita e o coentário, Fabi.

bjssss