visitas

quarta-feira, 4 de março de 2009

DE QUALQUER FORMA

De qualquer forma
não quero norma para me anormar
o que me conforma
fazer a norma quando quero amar.

Para que norma
se no amor tudo pode mudar
qualquer reforma
não serve para o amor se reformar.

O amor é prova
de que as normas só servem para enganar
e o coração me informa
que essas normas fazem o amor desandar.

Deixei as trovas
que não tem prova para provar
sigo somente uma norma
a que o coração mandar.

[pedro aruvai]

Um comentário:

D-D disse...

lindo poema!!!