visitas

domingo, 16 de dezembro de 2007

O DEUSA DA MINHA VIDA

Ó deusa de minha vida
quando tu não aparece,
deixa minh'alma ferida.
E meu corpo tanto padece.

E a tristeza que é bandida
no meu peito se engrandece,
me torturando atrevida.
E a lágrima muito desce.

Se a dor é destemida,
nenhum calor me aquece,
e a lágrima não é fingida.
Que de meus olhos triste desce.

Ó minha amada não fique sumida.
Minh'alma tanto de você carece.
Porque se sente quase perdida,
quando você desaparece.

[pedro aruvai]

2 comentários:

Malu disse...

Amei...Continue assim...Bjus

mar disse...

adorei! lindo! excelente!